Espanha
17/07/2019

O estádio Mestalla em Valência

Quem me conhece, sabe que não ligo a mínima para futebol, mas visitar um estádio clássico da Espanha, tem que fazer parte de qualquer roteiro turístico por essas bandas!

Fonte: Viagem, Comes e Bebês.

No último dia de Valência, acordamos cedo, tomamos café na frente do hotel, colocamos toda a tropa e as malas no carro e seguimos para o estádio Mestalla, antes de irmos para nosso próximo destino. Para quem não ouviu falar desse estádio, ele é a casa do València CF e foi construído há mais de 100 anos. História pura em um país que preza o futebol quase igual ou até mais que o Brasil.

Fonte: Viagem, Comes e Bebês.

Eu tinha pesquisado que a única maneira de entrar no estádio (em dia que não tem jogo, é claro) é fazendo um tour guiado. Pensei em comprar pela internet, mas achei meio arriscado, já que é necessário reservar uma hora exata.O estádio era bem perto do hotel, mas o mais complexo foi encontrar um lugar para estacionar o monstro! Feito isso, depois de um entra aqui, não cabe ali, vai mais pra lá, deu certo. Carro estacionado há uns 500m do estádio e, lá fomos nós!É bem fácil encontrar o lugar para comprar o ingresso do tour. Está indicado com setas por todos os lados: “Mestalla Forever Tour”. Quando chegamos, faltavam 2 minutos para começar e o próximo era só duas horas depois. Corremos que nem loucos e conseguimos! Entramos no estádio a tempo!Não pode entrar carrinho de bebê, pois a visita é ZERO acessível, então deixamos o carrinho logo na entrada e já subimos uma escadaria com o bebê 3 no colo (pesando, neste momento, seus lindos 10kg).

Fonte: Viagem, Comes e Bebês.
Fonte: Viagem, Comes e Bebês.
Fonte: Viagem, Comes e Bebês.

A mocinha, bem simpática, nos colocou sentados nas cadeiras numeradas, bem próximo de onde sentam os convidados de honra do rei. Separou os grupos em Espanhol e Inglês e explicou um pouco da história em meio a um barulho tremendo de um homem com uma máquina que estava limpando as cadeiras (que hora, né!!).

Fonte: Viagem, Comes e Bebês.

Explicações dadas, assistimos um filminho de alguns minutos com a história do estádio (fato interessante é que ele foi todo destruído por uma mega enchente e a população o reconstruiu inteiramente) e fomos para a sala dos troféus e camisas de jogadores importantes (nesse momento, o bebê 3 já estava pesando uns 11,5kg, mas ainda não tinha chorado nem uma vez).

Fonte: Viagem, Comes e Bebês.
Fonte: Viagem, Comes e Bebês.

Em seguida fomos para o vestiário, que estava totalmente vazio, pois tinham trocado de patrocinador há uns dias atrás, então estavam refazendo as fotos dos jogadores. Não consegui sentar, então o bebê passou a pesar uns 13kg (sem choros). O vestiário é muuuuito simples e a explicação é que o técnico entende que vestiário é para se trocar e discutir as últimas recomendações do jogo e não um spa de relaxamento (interessante…). Fomos então para a sala de imprensa e formou-se uma filona para todo mundo tirar foto. Sentei um pouquinho, pois o bebê já pesava uns 15kg, mas ele começou um chorinho no meio da explicação. Levantei e ele já pesava uns 16kg.

Fonte: Viagem, Comes e Bebês.

Finalmente chegamos no campo. Não pode pisar na grama, mas pode sentar no banco de reservas que, claro, não consegui, pois eram muito baixos e fiquei tenso de sentar com o bebê, que já pesava uns 25kg.

Fonte: Viagem, Comes e Bebês.

Muitas fotos depois, nos dirigimos para a saída. Não tinha lojinha, pois, como disse, tinham acabado de trocar de patrocinador, então fomos em direção ao carrinho, já que estava com um bebê de 40kg, nesse momento. Resumo da história: o estádio é bem bacana e tem uma história incrível. A visita podia ser melhorzinha e com mais acessibilidade, mas no resultado final, vale a pena!


O que você achou desse post? Comenta aí!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *