Bebês
05/07/2019

Cuenca com crianças e bebês

A história desse blog começou com uma dúvida sobre acessibilidade para carrinhos de bebê. Informações perdidas na internet que se desencontravam e a falta delas em língua portuguesa. Então, nada mais justo que contar aos meus leitores a realidade sobre cada lugar visitado.
Quando digo que vou viajar para algum lugar, sempre ouço a pergunta: mas você vai levar as meninas? Eu respondo que sim. Aí vem a próxima, seguida com uma cara de espanto: O bebê também? Para mim a resposta é sempre óbvia: claro que sim!
Então, e aí, será que Cuenca foi uma boa escolha?!
Sim, claro que sim! Mas é fácil andar lá com a tropinha? Não, claro que não.
A cidade de Cuenca é Patrimônio Mundial, mas pena que não é nada acessível. Entendo, claro, que sendo Patrimônio, não deve ser totalmente modificada, então não reclamo não, mas fico pensando sobre os cadeirantes ou pessoas com algum outro tipo de dificuldade de locomoção que gostariam de conhecer a cidade.
Cuenca é um lugar lotado de subidas e descidas, até aí ainda vai… se não fossem de pequenos paralelepípedos beeeem separados uns dos outros. Então fica bem difícil a caminhada sobre rodas e até com bengalas ou andadores.

Fonte: Viagem, Comes e Bebês.

As calçadas são apertadíssimas, o que dificulta inclusive manter as crianças afastadas das ruas. Mas aí cada um sabe o filho que tem.
Além disso, por toda a cidade você encontra mirantes lindíssimos, mas sem absolutamente nenhuma proteção, então as crianças também devem ser mantidas afastadas.

Fonte: Viagem, Comes e Bebês.

Por fim, Cuenca tem uma infinidade de escadas. Não tanto quanto em Veneza, mas ainda assim, dá uma certa trabalheira a locomoção com carrinhos de bebê.

Veredito: 

  1. Tome cuidado com as crianças nas ruas e nas beiradas dos mirantes;
  2. Vá preparado fisicamente para subir e descer escadas com carrinhos;
  3. Leve um carrinho de fácil transporte, porém resistente;
  4. Se a criança anda sem carrinho, NÃO leve o carrinho – na minha opinião, viajar sem ele é milhões de vezes melhor. E não me venha com aquela frase pronta “Ah, mas criança cansa rápido”. Mentira: os adultos cansam ainda mais rápidos. Observe se quando você se senta, a criança não está sempre correndo ou se movimentando por perto – quem será que está cansado?
  5. Viaje com seus filhos, independente da idade. A vivência em outras culturas é extremamente enriquecedora e o contato familiar será intenso! Aproveite enquanto é tempo. Depois serão eles que não vão querer ir com você…
Fonte: Viagem, Comes e Bebês.


O que você achou desse post? Comenta aí!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *