Bebês
14/04/2013

Papinhas de bebê

Uma das categorias que estreio hoje neste blog é a de papinhas de bebê, das tradicionais às gourmets.
Ainda vou falar também sobre alimentação infantil, não somente para bebês. Dicas de como alimentar os pimpolhos em casa e, principalmente nas viagens, tema principal deste blog!
Hoje vou fazer um post rápido explicando como pretendo publicar minhas ideias e como começou meu interesse por esse assunto, mas peço que os leitores façam comentários com sugestões e pedidos especiais sobre este tema que é infinito!

Enfim, vamos lá!
Quando a Bebê 1 nasceu, estava ansioso para poder alimentá-la e fazê-la experimentar desde batata, mandioquinha e banana, até aspargos, cogumelo, cordeiro e pato, mas não entendia NADA sobre crianças e, muito menos, sobre bebês, então fui a fundo na internet e nos livros buscar orientação (aliás já comecei a fazer isso durante a gravidez…).
Nas primeiras consultas com o pediatra, não parava de perguntar quando poderia dar o que a ela e, finalmente, chegou o dia. A Bebê 1 completou 4 meses! Hora da fruta!!!
Escolhemos bem o dia que minha esposa e eu estaríamos juntos em casa, posicionamos a Bebê 1 em sua cadeirinha e preparamos máquina e filmadora… Fiz questão de dar a primeira colherada, afinal a mãe amamenta e o pai fica só olhando! Não podia perder a oportunidade incrível de alimentar minha filha!! Foi espetacular! Demos banana e ela aceitou super bem – comeu 1 banana inteira. Fez uma meleca, mas comeu direitinho.

Depois de intensas pesquisas, cheguei à seguinte conclusão: iríamos alimentar a Bebê 1 com o mesmo tipo de alimento durante 3 dias seguidos, para detectarmos qualquer tipo de alergia alimentar e para que as papilas se acostumassem aos poucos com os sabores novos.
Durante os próximos dias, demos diferentes frutas: banana de vários tipos, maçã, pera (essa ela teve alergia, podem acreditar?!), laranja, manga, mamão, abacate, melão, pêssego, ameixa, nectarina e até kiwi. Só frutas vermelhas e melancia estavam proibidas por ordem médica, por terem alto poder alergênico.
A Bebê 1 aceitou tudo super bem, a cada nova etapa, a cada novo sabor, ficava cada vez mais feliz e surpreso com a capacidade do ser humano de aceitar melhor um ou outro sabor.
Chegou a hora da papa salgada. Quando a Bebê 1 fez 5 meses, ela já começou a almoçar. Agora sim iria poder efetivamente mostrar meus dotes culinários a minha filha!!
Conto os detalhes em um próximo post, mas segue aqui a primeira receita básica que fiz para ela (bem básica mesmo, porém, para os nutricionistas e curiosos de plantão, continha, como todas as outras futuras, elementos construtores, energéticos e reguladores).
Papinha de Batata, Carne e Espinafre:

  • 200g batata monalisa (ou lavada, comum)
  • 80g alcatra ou patinho moído
  • algumas folhas de espinafre
  • azeite extra virgem

Modo de preparo:

  1. Refogar a carne moída no azeite, acrescentar as batatas sem casca, cortadas em cubos médios e refogar mais um pouco.
  2. Adicionar água fría até cobrir e cozinhar em fogo baixo até as batatas ficarem prontas.
  3. Adicionar as folhas de espinafre e abafar por 3 minutos.
  4. Coar (reservar o caldo) e bater os sólidos no liquidificador ou no mixer (preferi o liquidificador no início, para dar uma consistência mais pastosa e homogênea), acrescentando os líquidos aos poucos até dar o ponto desejado.
  5. Esperar amornar e regar com um fio de azeite extravirgem.

Dica: não usei sal e nenhum outro tipo de especiaria por um bom tempo na dieta da Bebê 1. Em um próximo post dou dicas de como usar esses temperos na dieta infantil.
Sei que essa receita é muito básica, mas tinha que começar por alguma! Não deixem de conferir as próximas!

2 respostas para “Papinhas de bebê”

  1. erica disse:

    a pediatra da minha filha disse que o mais recomendado é somente o leite materno até os 6 meses.

    • luizcaraujo disse:

      Realmente ela tem razão, mas a alimentação da Bebê 1 não era leite materno exclusivo, por isso introduziu papinha de frutas aos 4 meses.

O que você achou desse post? Comenta aí!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *